Pra quem não ta ligado, Donald Trump – Presidente dos USA – assinou uma decisão de impedir por 3 meses a entrada de cidadãos de sete países (Irã, Iraque, Síria, Yemen, Somália, Sudão e Líbia) e o bloqueio por 120 dias de refugiados de todo o mundo, sem exceções. Com isso, ele impedirá Asghar Farhadi de comparecer à cerimônia de premiação do Osca 2017.

Asghar Farhadi, produtor, diretor e roteirista de O Apartamento, um dos favoritos à estatueta, o cineasta já venceu o prêmio de filme estrangeiro em 2012, por A separação.

A proibição a Asghar Farhadi foi confirmada neste sábado (28) por Trita Farsi, presidente do Conselho Nacional Iraniano Americano. Segundo a ordem executiva de Donald Trump, cidadãos de Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen (“nações propensas ao terrorismo”) só serão admitidos nos Estados Unidos, por ora, mediante a apresentação de passaporte diplomático.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou um comunicado neste sábado comentando sobre as notícias de que o cineasta iraniano Asghar Farhadi poderia ser impedido de entrar nos Estados Unidos e ir à cerimônia do Oscar 2017.

A Academia celebra as conquistas na arte da realização de filmes, que busca transcender fronteiras e alcançar audiências ao redor do mundo, independente de nacionalidade, etnia ou diferenças religiosas. Como apoiadores de cineastas e defensores dos direitos humanos de todos, recebemos com bastante preocupação a notícia de que Asghar Farhadi, o diretor do ganhador do Oscar com um filme iraniano, e o elenco e produção de seu indicado O Apartamento, poderiam ser barrados de entrar nos Estados Unidos por motivos religiosos ou de nacionalidade

Assista ao trailer legendado de O Apartamento